Psicologia e Psiquiatria

Como sobreviver ao divórcio do marido

Como sobreviver ao divórcio do marido? Infelizmente, a vida humana não consiste apenas em alegrias, portanto, as tristezas devem ser aceitas e vividas adequadamente. É necessário entender que tudo no ser é transitório. Bons momentos passam, assim como eventos envolvendo uma parcela de negatividade. Foi determinado na sociedade de hoje que, muitas vezes após o casamento, ocorre um divórcio, que a maioria das mulheres sofre bastante, devido a uma atitude errônea em relação a ele.

A separação do cônjuge deve ser percebida corretamente. Mais precisamente, não se recomenda dividir os laços familiares com uma tragédia em escala global ou com o fim de tudo. Pelo contrário, é necessário refletir sobre a transformação do fim negativo dos relacionamentos na base de algo novo na vida de uma mulher, o surgimento de muitas oportunidades anteriormente impossíveis.

Como sobreviver a um divórcio de seu amado marido, se o vazio se instalou dentro, e o cônjuge não quer deixar o coração feminino ir quando a confiança ao ente querido é perdida, e a alma continua a amar e sofrer?

A ruptura dos relacionamentos é o teste mais sério na vida da bela metade da humanidade, um teste da força de sua força de vontade e um teste de autoconfiança para a resistência. Muitas vezes, o divórcio é complicado pela redistribuição da propriedade, a cessação da interação com conhecidos comuns, conflitos com parentes do cônjuge, histeria de crianças protestando contra a partida do pai, falta de compreensão e condenação dos parentes de uma mulher, que pode levá-la ao estado de depressão severa.

Como sobreviver ao divórcio de seu marido, se você ainda ama

A dinâmica do processo de divórcio na sociedade moderna, infelizmente, tende a um crescimento teimoso. A razão para isso pode ser muito jovem, uma mudança no pensamento das pessoas atuais ou em seus pontos de vista sobre a família, uma diminuição na atratividade das instituições matrimoniais aos olhos dos jovens, etc. Freqüentemente, mais e mais frequentemente, o iniciador de um divórcio é o representante da metade forte.

Quando um casal, depois de discutir as relações existentes, chega a uma decisão mútua sobre o divórcio, a lacuna é mais fácil. Mas a situação é mais difícil quando um dos parceiros procura o divórcio, e o segundo não está pronto para tomar essa decisão. Foi então que surgiu a questão diante das mulheres "como é mais fácil sobreviver ao divórcio do marido".

Em princípio, quebrar relacionamentos é difícil para a população feminina - quando ela continua a ter sentimentos por seu cônjuge e quando não há amor. Portanto, as mulheres devem tentar superar essa fase difícil da vida com dignidade e com perdas mínimas para si mesmas. E o mais importante, todos os esforços são necessários para tentar não se tornar amargurado em todos os homens e não perder a confiança neles.

Se você ainda ama, então passar por um divórcio com o marido não é muito fácil. De fato, em noventa e um por cento dos casos, se o marido exige um divórcio, a mulher tem um sério rival. Naturalmente, nesta situação, a metade fraca se sente traída. Quando você escolhe uma amante em vez de uma esposa legítima, é sempre muito difícil sobreviver. Mas a vida não conhece a palavra "impossível".

Então, como sobreviver à traição do marido e do divórcio? Por via de regra, a metade forte decide deixar o cônjuge e ir ao outro não em um momento. Inicialmente, ele secretamente encontra uma varinha de separação, mudando a esposa legal, a quem ele prometeu ser fiel. Traição masculina, muitas vezes perceptível em seu comportamento. Os psicólogos dizem que um número relativamente pequeno de homens é capaz de deixar seus próprios cônjuges por causa de suas amantes, para destruir as relações familiares existentes em nome de um novo relacionamento hipotético. No entanto, esses casos ocorrem.

Portanto, para resolver com sucesso a situação e encontrar a resposta para a eterna pergunta: "Como sobreviver à traição e ao divórcio de um marido", você deve primeiro eliminar completamente o antigo parceiro de sua própria vida. Em outras palavras, você deve se esconder ou jogar fora vídeos ou fotos comuns, remover objetos de seus olhos que lembrem sua esposa ou felicidade conjunta e, se possível, evitar qualquer interação com o ambiente. Afinal de contas, ele tomou uma decisão "adulta" ponderada de que não ama mais sua esposa e, portanto, ela não precisa mais dele.

Quão mais fácil sobreviver ao divórcio do marido? É necessário dar como certo que os antigos fiéis se tornaram um sujeito estrangeiro para o cônjuge. A esposa abandonada deve estar em paralelo com o que o traidor faz, com o que ele vive, com quem ele passa tempo, etc. Afinal, estranhos geralmente não se importam conosco. Então, por que nos interessaremos por um ex-cônjuge? Não é recomendado tentar provar nada para ele. Além disso, você não deve se precipitar em busca de um camponês que substitua o traidor. A vida é dada ao homem sozinho, por isso não deve viver de qualquer maneira, mas felizmente. Então, é tolice desperdiçar seu tempo em provar algo para um assunto estrangeiro.

Deve tentar distrair das circunstâncias. O humor feminino é fortemente influenciado por sua aparência, que eles observam do espelho. Naturalmente, se uma pessoa triste, com cabelo sujo, um cão surrado olhando, vestido casualmente, olha para a dama do espelho, então o que ele viu não só pode assustar até os mais experientes, mas também levá-los a uma depressão deprimida. Portanto, é importante usar o tempo livre resultante para trabalhar em sua própria aparência. Você pode mudar o corte de cabelo ou tom de cabelo, atualizar seu guarda-roupa, fazer sobrancelha ou tatuagem de lábio e muito mais. Além disso, os psicólogos recomendam tentar fazer algo que eles nunca pensaram em fazer antes. Por exemplo, salte com um pára-quedas ou faça bailes juvenis. Novas oportunidades na vida não apenas distraem, mas também apresentam comunicação com novos rostos.

Não a melhor opção para a bela metade seria mergulhar de cabeça no campo profissional. Este método é mais característico dos homens. Recomenda-se ter um animal de estimação se isso não fosse. É melhor dar preferência ao cão. Em primeiro lugar, caracterizam-se por devoção e, em segundo lugar, precisam de ser percorridos pelo menos duas vezes por dia, o que não só distrai as experiências do quotidiano, como também afeta perfeitamente a saúde e a forma física das mulheres. Afinal, todo mundo conhece os benefícios da caminhada.

Excelente ajuda para lidar com emoções negativas paixão ativa por algum tipo de esporte. Por exemplo, você pode nadar ou se exercitar, a ioga também contribui para a harmonização do estado interno. O esporte contribui não apenas para a queima do negativo da alma feminina, mas também ajuda a tornar a figura mais perfeita, e a aparência como um todo - mais atraente, o que afetará o aumento da auto-estima.

Além de todos os itens acima, outro aspecto importante deste período difícil para cada mulher é a interação sistemática com as pessoas: parentes, amigos ou colegas. A solidão e as quatro paredes ao redor - não os melhores ajudantes na solução do problema: "como sobreviver à traição do marido e ao divórcio". É necessário viver cada momento de ser plenamente. Afinal, a natureza humana é tão organizada que o tempo é sempre para o sofrimento, e a felicidade é colocada no fundo.

Como sobreviver ao divórcio de seu marido, se houver um filho

Então a coisa aparentemente mais terrível aconteceu - um divórcio. Não faz muito tempo, a unidade social estava se reunindo para um jantar conjunto e, hoje, cada cônjuge deve construir sua própria vida separadamente do casal. E como fazer isso, como sobreviver a um divórcio de um modo indolor, se às vezes o desespero fluir, misturado com uma forte ofensa, às vezes ele traz amargura, e às vezes ataca uma pena aguda pela própria pessoa. Em tais momentos, sente-se que a vida, se não terminou, certamente perdeu todo o significado. O modo habitual de vida está desmoronando, metas e tarefas estão mudando, um enorme fardo de nova responsabilidade surge, que ontem estava sobre os ombros largos do cônjuge.

E como sobreviver ao divórcio de seu amado marido, se houver um filho? Afinal, a responsabilidade recai sobre a metade fraca, não só para ela, mas também para o bebê. No primeiro turno, é necessário perceber que não apenas o destino da unidade social, mas também o homenzinho depende de qualquer decisão conjunta tomada hoje. Portanto, você deve falar honestamente com a criança, não se movimentando e não acalmando a verdade. Afinal de contas, as crianças são bastante suscetíveis a dramas que ocorrem nas relações familiares e, como resultado disso, muitas vezes se culpam pelo fato de o papa ter desaparecido. Não importa em que idade a criança esteja, ele é um membro de pleno direito das relações familiares, então ele deve saber o motivo pelo qual os pais não querem mais viver juntos. É melhor quando os pais conduzem essa conversa juntos. Você deve conversar em igualdade de condições com seu filho e percebê-lo como uma pessoa adulta de pleno direito. Caso contrário, poderá torturar ainda mais os complexos, provocados por um sentimento injustificado de culpa.

Não prive a criança da comunicação com o pai. O homem deixou de ser marido, mas permaneceu como pai. E esse fato não pode ser alterado. A criança pode decidir se continuará a se comunicar com o pai ou não. Mas a mãe não tem o direito de privar o bebê da interação com o pai.

Além disso, os psicólogos recomendam estabelecer um relacionamento de fronteira claro. Uma mulher deve entender por si mesma que aceita um ex-cônjuge em casa exclusivamente como pai de um bebê e não mais. Caso contrário, as reuniões podem provocar sentimentos antigos em uma mulher e despertar o desejo de reviver o relacionamento. Mas o ex-cônjuge pode não ter tais planos. Embora seja improvável que ele desista da íntima "amigável", mas é necessário para a bela metade ?! Portanto, é necessário discutir imediatamente com o ex-parceiro os limites além dos quais não se deve ultrapassar.

Como sobreviver a um divórcio de seu marido - o conselho de psicólogos

O cônjuge de assistência é considerado uma das situações mais difíceis na vida das mulheres. Portanto, muitas vezes as mulheres recorrem a especialistas para encontrar a resposta para a pergunta dolorosa: "como sobreviver ao divórcio e a saída do marido para outro". A principal tarefa em romper relacionamentos não é cair em um estado depressivo de natureza prolongada.

Todos os conselhos dos psicólogos sobre como sobreviver ao divórcio com um marido incluem a afirmação de que o melhor médico é o tempo. Mas como sobreviver a esse período difícil e não se perder? Como sobreviver à traição do marido e do divórcio? E é mesmo possível? Especialistas acreditam que isso é possível. E a primeira coisa a fazer é estabelecer uma meta indestrutível à sua frente - tornar-se feliz, não importa o que aconteça. É necessário seguir este objetivo apesar de tudo e não sucumbir às fraquezas. Mesmo quando é muito difícil, não recue um pouco.

O próximo conselho que os psicólogos compartilham é se livrar do negativo. Por que levar com você em uma vida feliz o pesado fardo da negatividade. Afinal, ele só vai desacelerar a bela metade na estrada para o gol. Portanto, é necessário se livrar das emoções negativas imediatamente, após a sua aparição e quando elas chegam. Maneiras de se livrar de lá são muitas, variando de chicotadas de pratos e terminando no conjunto bebendo uma garrafa de vinho com o melhor amigo, seguido de choro no "colete".

Outra recomendação dos psicólogos para resolver o problema “como sobreviver a um divórcio e a saída do marido para outro” é a comunicação com parentes e pessoas próximas. Você não pode entrar em si mesmo e ser enterrado na pia, dedicando todo o seu tempo livre à sua própria tragédia, o que não é uma tragédia, mas apenas um novo estágio na existência. Somente pessoas próximas são capazes de ajudar a superar o período difícil da maneira mais indolor possível.

Também não é recomendado, mesmo com o desejo mais forte, vingar o traidor. Afinal de contas, é impossível corrigir a situação com vingança, e é bem possível fazer uma pior do que sua própria personalidade e estado mental. As queixas precisam ser liberadas. Daí vem o próximo conselho de psicólogos, consistindo em perdão e despedida. Ou seja, o ex-cônjuge deve ser perdoado de todo o coração e depois liberado. Afinal, o relacionamento passado nem sempre era ruim, muitas vezes eles davam felicidade e alegria louca. Pelo menos para aqueles momentos de felicidade passados ​​juntos com o ex-marido, você precisa ser grato a ele. Portanto, você deve perdoar o traidor e tentar manter apenas lembranças positivas dele.