Psicologia e Psiquiatria

Assistência psicológica para demência

Assistência psicológica para demência É absolutamente necessário para pessoas que sofrem desta doença. Também é importante que o atendimento psicológico seja prestado aos cuidadores de pessoas com demência, pois eles experimentam efeitos psicológicos adversos e sofrimento todos os dias.

O problema das pessoas idosas é que elas são menos propensas a serem enviadas para especialistas em psicoterapia. Presumivelmente, a razão está no fato de que tais pessoas raramente têm significado social e realizam trabalhos importantes. Portanto, o tratamento de pessoas idosas, a manutenção do seu funcionamento não é uma prioridade tão alta da medicina.

Pesquisadores confirmaram a eficácia da psicoterapia em idosos. Uma visão geral do banco de dados sugere que a psicoterapia interpessoal, cognitivo-comportamental, analítico-cognitiva, bem como abordagens sistemáticas e psicodinâmicas, podem ajudar pessoas idosas com demência.

A assistência psicológica para a demência é um elemento fundamental subjacente ao tratamento psiquiátrico de alta qualidade. No entanto, alguns especialistas acreditam que a psicoterapia não é adequada para pacientes com demência senil, uma vez que muitas vezes apresentam comprometimento da função de fala. Mas a maioria dos pacientes consegue se comunicar efetivamente nos estágios iniciais da demência. Essas pessoas não apenas mantêm a segurança de sua personalidade, mas também querem entender em que posição estão. Outros especialistas dão apoio psicoterapia de apoio, uma vez que ajuda pacientes com incapacidade leve para se adaptar à sua condição.

Um dos problemas no tratamento da demência é informar uma pessoa sobre seu diagnóstico. Desentendimentos ainda permanecem entre clínicos gerais e psiquiatras sobre o que o paciente deve ser informado. Estudos sobre essa questão mostram que os pacientes querem ter informações completas sobre o diagnóstico, precisam da verdade sobre a doença, seu prognóstico e tratamento.

A psicoterapia de apoio é um método útil e um efeito benéfico na qualidade de vida das pessoas que sofrem de demência senil. A psicoterapia de apoio é difícil de definir. O psicoterapeuta, em essência, ajuda o paciente, apoiando-o e encorajando-o. A psicoterapia de apoio caracteriza-se pela confiabilidade, regularidade, atitude atenta do psicoterapeuta ao paciente. Tais técnicas como estimulação de sentimentos e razão, conselho, persuasão, alegria, re-treinamento de pessoas com estado psicológico frágil, aconselhamento psicológico são usadas.

Assistência psicológica para a demência se concentra - ajuda e apoio, não supressão e pacificação. O objetivo da psicoterapia de apoio é uma forma de substituição de tratamento, dotando uma pessoa de funções psicológicas insuficientes ou ausentes.

A assistência psicoterapêutica individual consiste em conduzir conversas, cujo propósito é aumentar a auto-estima e manter, melhorar o funcionamento psicológico e as habilidades adaptativas das pessoas com demência.

Durante o atendimento psicoterapêutico, o especialista desempenha um papel ativo e direcionador, ajuda a pessoa a melhorar as habilidades de funcionamento social e a capacidade de lidar com as dificuldades e os problemas cotidianos. A ênfase está principalmente em melhorar experiências subjetivas e comportamento.

Ajuda psicológica para demência - tarefas

Ajudar os pacientes a alcançar uma possível adaptação social e psicológica, reforçando e restaurando sua capacidade de lidar com os problemas e as vicissitudes cotidianas do destino. Mantenha um senso de autoconfiança e auto-estima, enfatizando as conquistas e qualidades positivas do paciente. Para contar às pessoas sobre a realidade de sua situação de vida (sobre suas limitações, suas habilidades no tratamento). Para evitar a recorrência atempada da doença, tentando parar a deterioração. Alvo os pacientes para buscar algum suporte profissional, o que contribuirá para a possível adaptação dos pacientes.

Os componentes da psicoterapia de apoio são garantia, que é de grande importância para o paciente. Em um paciente, mal-entendidos e dúvidas devem ser eliminados e o foco deve ser focado em qualidades positivas. Para ser eficaz, o encorajamento deve ser feito de forma realista. O propósito do encorajamento é criar um clima psicológico de esperança e expectativa de mudança positiva.

O psicoterapeuta dá uma explicação detalhada e completa da doença, focada em "aqui" e "agora". A principal tarefa é melhorar a capacidade do paciente de lidar com as dificuldades sem aumentar o nível de auto-análise.

Ajuda psicológica para demência inclui dicas que são aceitáveis ​​e desejáveis. O paciente deve saber quando procurar ajuda. É importante que o paciente desenvolva não apenas habilidades de enfrentamento, mas também que entenda quando procurar ajuda.

A sugestão, que detém um médico, provoca o impacto das mudanças no indivíduo, tanto de forma explícita e implícita. O incentivo aumenta a auto-estima, impede o desenvolvimento de sentimentos de inferioridade e contribui para a manifestação de formas adequadas de comportamento. Para conseguir mudanças significativas no paciente, é necessário que ele mude seu ambiente.

Escuta benevolente ativa, aceitação do paciente, convencer o paciente da confiabilidade e segurança da situação, o que facilita a comunicação franca e completa das informações sobre sua doença.

Parentes que cuidam de pessoas doentes com demência também sentem angústia diária, ficando por perto. Como parentes próximos experimentam efeitos psicológicos adversos todos os dias, eles também precisam de ajuda psicológica.

Assistência psicológica aos familiares de pacientes com demência inclui:

- alternação do modo de assistência ao paciente e descanso pessoal;

- Mudança periódica do cenário (partida para a natureza, comunicação com pessoas agradáveis, fazendo o que mais gosta);

- abstração dos problemas do paciente com demência e voltando sua atenção para coisas positivas (assistir a programas de televisão, ler literatura, comunicar-se com familiares saudáveis, praticar esportes, etc.).

Assistência psicológica para pacientes com demência de seus parentes é:

- em explicações constantes, conselhos;

- na empatia (empatia);

- em aplausos, aprendizagem e motivação;

- no louvor diário;

- elevar a auto-estima do paciente;

- despertando esperança;

- na resolução de problemas do dia a dia;

- na mudança do ambiente;

- em apoio - para incentivar uma pessoa a se concentrar em realizações passadas.

Parentes de pacientes com demência (marasmo, síndrome de Alzheimer) devem entender seu fechamento em si mesmos, isolamento emocional e físico, hipocondria, somatização, obsessão com oportunidades perdidas e memórias do passado.

A principal tarefa dos familiares é tratar o paciente como pessoa e não como um problema. A observância adequada de todos os princípios acima pode reforçar os pontos fortes do paciente, melhorar as habilidades para superar as dificuldades, tanto em seus como em seus cuidadores.