Absência - Este é um tipo de epipriação, que é um sintoma de epilepsia. A ausência de uma perda inesperada de consciência a curto prazo se manifesta. O indivíduo abruptamente, sem precursores visíveis, pára de se mover, como se kamenet. Ao mesmo tempo, seu olhar é direcionado para frente, uma expressão constante aparece em seu rosto. Uma pessoa não mostra reações a estímulos externos, não responde a perguntas, a fala é abrupta. Após alguns segundos, o estado retorna ao normal. O indivíduo não se lembra do estado vivido, ele simplesmente continua o movimento produzido anteriormente, portanto ele se comporta como se nada tivesse acontecido. Uma característica específica de absansa é considerada uma alta incidência. Muitas vezes, pode atingir 100 convulsões por dia.

Razões para ausências

Muitas vezes os ataques de absans permanecem despercebidos, como resultado, a essência de sua origem é bastante difícil de detectar. Várias figuras científicas apresentam uma hipótese de predisposição genética contra o pano de fundo da emergência, em certo instante, da ativação do funcionamento das células cerebrais.

Além disso, distinguir entre a apreensão verdadeira e absans falsos. Do último indivíduo, é fácil se retirar pelo toque ou pela conversão, com um grito alto e repentino. Se a convulsão for verdadeira, o participante não responderá às ações descritas acima.

Também entre os prováveis ​​fatores etiológicos da origem do estado em questão estão:

- hiperventilação dos pulmões, levando a alterações na concentração de oxigênio e níveis de dióxido de carbono, o que causa hipóxia;

- intoxicação por produtos tóxicos;

- violação da proporção dos compostos químicos necessários no cérebro.

No entanto, deve ser entendido que, na presença de todos os fatores provocantes acima, o estado em questão nem sempre se desenvolve. A probabilidade de início de um abcesso aumenta se uma das doenças mencionadas abaixo for diagnosticada em um indivíduo:

- disfunção das estruturas do sistema nervoso;

- Transtorno convulsivo congênito;

- uma condição após a transferência de processos inflamatórios que ocorrem no cérebro;

- contusões cerebrais, várias lesões.

O abscesso infantil ocorre mais frequentemente devido a patologias que se originaram durante a ontogenia do bebê ao nível da genética. Quando um feto permanece no útero da mãe, são registradas mudanças na formação das estruturas cerebrais e do sistema nervoso, as quais, após seu aparecimento, são detectadas em neoplasias, microcefalia ou hidrocefalia.

Além disso, os absans epilépticos infantis podem ocorrer no contexto de desalinhamento dos impulsos de frenagem e sinais de excitação do sistema nervoso, resultantes de doenças infecciosas, distúrbios hormonais ou contusões cerebrais na infância ou em idade precoce.

A seguir, são típicos fatores que provocam o aparecimento de abscesso em bebês:

- constantemente apresentam estressores;

- aumento do estresse mental;

- aumento da atividade física;

- adaptação às mudanças climáticas;

- doenças infecciosas, cirurgia no cérebro ou seus ferimentos;

- Existem doenças renais, patologias do miocárdio e do sistema respiratório;

- carga intensiva na visão devido ao uso excessivo do mundo dos jogos de computador, lendo ou assistindo desenhos animados brilhantes.

Absans em adultos

A doença considerada é um tipo não severo de epiprikadkov. No entanto, as pessoas que têm sinais de abscesso devem monitorar mais de perto sua própria saúde. Eles são encorajados a tentar menos para ficarem sozinhos, e você não pode ser você mesmo ao nadar ou interagir com dispositivos técnicos inseguros. Além disso, os indivíduos que sofrem de tais apreensões estão proibidos de controlar veículos e outros equipamentos.

Absans, o que é isso? Principalmente, as ausências caracterizam-se pelas seguintes manifestações: rigidez corporal, ausência de olhos, reflexo leve das pálpebras, movimentos de mastigação, lábios estalando, atos motores simultâneos dos membros superiores.

O estado descrito tem uma duração de vários segundos. Recuperação de absence ocorre rapidamente, o indivíduo retorna ao seu estado normal, mas não consegue lembrar a apreensão. Muitas vezes, as pessoas podem sofrer vários ataques por dia, o que muitas vezes complica significativamente suas atividades profissionais.

Os sinais típicos de ausência são a aparência ausente, a mudança na cor da pele da derme, o movimento das pálpebras. Os indivíduos podem ter um absans complexo, que é acompanhado por uma curva do corpo para trás, com atos motores padronizados. Depois de sofrer uma convulsão complexa, o indivíduo geralmente sente que sofreu algo incomum.

A violação considerada aceita-se para ser sistematizada segundo a gravidade das suas manifestações principais, por isso, as convulsões típicas e absans atípicos distinguem-se. O primeiro - ocorre na ausência de sinais preliminares. O homem parece estar pesando, seu olhar está fixo em um lugar, as operações motoras realizadas antes do início da crise cessam. Após alguns segundos, o estado mental é totalmente restaurado.

Variedade atípica de ocorrência de ausências é caracterizada por uma estréia gradual e conclusão, bem como uma maior sintomatologia. Um epiléptico pode experimentar uma flexão do tronco, um automatismo nos atos motores, a perda de objetos das mãos. Abaixar o tom geralmente causa uma queda repentina no corpo.

Ausências difíceis de um curso atípico, por sua vez, podem ser classificadas em quatro formas abaixo.

As convulsões mioclônicas são caracterizadas por uma perda parcial ou completa da consciência, que é acompanhada por tremores cíclicos agudos em todo o corpo. Geralmente mioclonias são encontradas bilaterais. Mais frequentemente, eles são encontrados na área facial na forma de espasmos dos cantos dos lábios, tremor nas pálpebras e músculos oculares. O sujeito, que está nas palmas das mãos, cai em um ataque.

Formas atônicas de absansa são manifestadas por um enfraquecimento acentuado do tônus ​​muscular, que é acompanhado por uma queda. Muitas vezes, a fraqueza pode aparecer apenas nos músculos do pescoço, como resultado do que a cabeça cai no peito. Raramente, com este tipo de abscesso, ocorre micção involuntária.

A forma acinética é caracterizada pelo desligamento completo da consciência, juntamente com a imobilidade de todo o corpo.

Ausências que ocorrem com sintomas autonômicos, manifestam-se além de desativar a consciência, a incontinência urinária, o avermelhamento da derme facial e uma acentuada dilatação das pupilas.

Absans em crianças

O distúrbio em questão é considerado um sintoma bastante freqüente de uma crise epiléptica. Absans é uma forma de desordem funcional do cérebro, contra a qual ocorre uma breve perda de consciência. Um ninho "epiléptico" se origina no cérebro, que atua em suas várias regiões através de impulsos elétricos, o que viola sua funcionalidade.

Absanse é expresso na forma de epiprips, caracterizada por um início repentino e interrupção abrupta. Ao retornar do ataque, a criança não se lembra do que está acontecendo com ele.

O abscesso infantil é manifestado pelos seguintes sintomas. Com a convulsão, o corpo das migalhas fica imóvel e o olhar está ausente. Ao mesmo tempo, há palpitação das pálpebras, atos de mastigação, estalar os lábios, movimentos idênticos das mãos. O estado descrito é caracterizado por uma duração de vários segundos e uma restauração rápida semelhante da funcionalidade. Em alguns bebês, várias convulsões podem ser observadas diariamente, o que dificulta a vida normal, complica as atividades de aprendizado e a interação com os pares.

Muitas vezes os pais não percebem imediatamente a ocorrência de tais convulsões devido à sua curta duração. O primeiro sinal de patologia é um declínio no desempenho escolar, os professores se queixam do aparecimento da falta de mentalidade e da perda da capacidade de concentração.

Você pode suspeitar da ocorrência de abscesso nas migalhas por meio de operações motoras síncronas com as mãos, um olhar desinteressado. Alunos com frequência de várias convulsões por dia também são marcados por distúrbios na esfera psicoemocional. As crianças com ausências devem estar sempre sob o controle implacável dos adultos, já que a perda de consciência pode surpreender o pequeno, por exemplo, ao atravessar uma movimentada faixa de transporte, andar de bicicleta ou nadar.

Abscessos infantis, as conseqüências não são muito graves e, muitas vezes, as convulsões desaparecem sozinhas aos vinte anos de idade. No entanto, eles podem provocar o desenvolvimento de convulsões convulsivas de pleno direito ou acompanhar o indivíduo durante toda a sua existência. Em casos graves, os abcessos são observados dezenas de vezes por dia.

Além disso, o estado em questão é a desconexão perigosamente abrupta da consciência, em conseqüência da qual o bebê pode cair e se ferir, afogar-se se uma convulsão o pegar enquanto estiver na água. Na ausência de um efeito terapêutico eficaz, as apreensões aumentam, o que ameaça violar a esfera intelectual. Além disso, os menores habitantes do planeta, existe a probabilidade de desajustamento social.

Ausências de tratamento

A correção terapêutica das ausências, na verdade, é a prevenção da epilepsia grave. É por isso que é extremamente importante consultar um médico quando as primeiras manifestações da doença são detectadas. Em geral, o prognóstico terapêutico de absans em 91% dos casos é favorável.

É necessário começar ações médicas só depois do estabelecimento sem defeito do diagnóstico. Além disso, recomenda-se iniciar a terapia após ter uma convulsão recorrente, uma vez que uma única manifestação é aleatória, por exemplo, devido a superaquecimento, intoxicação ou devido a uma falha metabólica.

O absans epiléptico é geralmente tratado com drogas farmacopéicas. A terapia medicamentosa da condição considerada é principalmente realizada com a ajuda de agentes relacionados a substâncias antiepilépticas baseadas em derivados da succinimida (etosuximida) e ácidos graxos (ácido valpróico). Eles mostram boa eficácia no controle de convulsões.

A dosagem inicial de agentes farmacopéicos é escolhida com base nos valores mínimos permitidos, e ajustada a um nível que pode prevenir ou reduzir significativamente o número de convulsões previamente determinado usando o monitoramento diário do eletroencefalograma.

No tratamento de crises de abscesso na infância, o tratamento com um medicamento farmacopéico é aplicado. Se o efeito terapêutico estiver ausente ou ocorrerem sintomas adversos, o medicamento deve ser substituído por outro. A correção dos estados de ausência em adultos é realizada da mesma maneira.

Um fármaco antiepiléptico baseado em derivados de benzodiazepínicos (Clonazepam) também pode ser usado, e o fármaco considerado só tem um resultado positivo se for usado por um curto período de tempo. No entanto, a maioria dos médicos não recomenda este medicamento no tratamento de convulsões por abscesso devido à rápida dependência, bem como devido à alta probabilidade de ocorrência de sintomas adversos.

Com acesso oportuno a ajuda profissional, diagnóstico adequado e terapia adequada, a doença em questão pode ser corrigida com sucesso, evitando-se as conseqüências das ausências. No entanto, em certas situações, há a probabilidade de preservar o defeito de uma função intelectual até o fim da vida. É difícil para esses pacientes ler e contar, eles não são capazes de encontrar diferenças entre objetos e revelar suas semelhanças. Além disso, o fator de adaptação social e adaptação ao trabalho é considerado extremamente importante, uma vez que os ataques recorrentes podem influenciar negativamente nessas áreas da vida.

Muitas vezes o prognóstico de formas simples de absansa é favorável, especialmente em crianças. Mesmo na ausência de terapia intensificada, os sintomas desaparecem, no máximo por um período de cinco anos. O controle sustentado das crises é alcançado em 80% dos casos. O prognóstico de formas complexas de ausência é devido ao curso da doença.