Psicologia e Psiquiatria

Emancipação

A emancipação é uma condição caracterizada pela mobilidade física, na qual uma pessoa reduziu o nível de autocrítica de seu próprio comportamento e, especialmente, de suas manifestações externas. Tem emancipação de valor para entender o armazém caracterológico de uma pessoa. Assim, por exemplo, as pessoas de um armazém misantrópico são menos liberadas do que todas as outras. Tais tendências são explicadas pela necessidade do número de contatos e da avaliação geral do mundo.

De muitas maneiras, a sensação de emancipação origina-se dos grampos musculares que bloqueiam o fluxo natural de energia e as tendências de reconstrução no indivíduo. Quanto maior o número de bloqueios musculares que o corpo humano possui, mais bloqueios semelhantes ocorrem nas esferas sensual e psicológica. Portanto, para aumentar o nível de emancipação, é necessário trabalhar com a ajuda da terapia corporal ou de outras técnicas corporais mediadas.

A emancipação implica a comunicação sem máscaras sociais de conveniência e imagens artificiais atraentes, inclui o imediatismo do comportamento e a manifestação de sentimentos, comparáveis ​​ao sentimento de liberdade e à capacidade de uma pessoa ser qualquer coisa, o que significa real. Este estado implica uma interação aberta com o mundo, sem o erro de cálculo dos benefícios e manipulação de seu comportamento. Relacionamentos com a realidade implicam sua percepção como uma plataforma amigável, aberta e interessante para a manifestação de si e do conhecimento dos outros.

O que é emancipação

A emancipação do valor do intercâmbio de experiências sensoriais com o mundo e as pessoas nele. Através dessas manifestações, uma conexão nasce com a sociedade circundante e o espaço natural, uma pessoa vive uma vida agitada. O estado oposto é a escravização da esfera sensual, quando é impossível mostrar suas verdadeiras reações, desejos, necessidades e emoções em relação às pessoas. O estado de proximidade de muitas maneiras limita não apenas as emoções, mas empobrece a interação social humana, a capacidade de adaptação. Aquele que não conhece a emancipação, perde gradualmente o seu relacionamento com os outros, cada vez mais esgrima deles, e com o tempo começa a sentir medo pela facilidade e espontaneidade de alguém.

Muitas pessoas confundem emancipação com depravação e permissividade, mas esses conceitos não são idênticos. A depravação em seu apogeu desrespeita as opiniões dos outros e o desrespeito às normas morais, mas a emancipação é sempre baseada nos princípios da harmonia e da interação. É por isso que tais pessoas atraem a atenção dos outros para si mesmas, uma vez que sua liberdade interior dá aos outros a chance de se manifestarem também em seu estado natural.

Comportamento não forçado, facilidade de comunicação em qualquer situação e com quaisquer pessoas são os principais sinais externos de emancipação. Tal atratividade para muitos torna-se o momento mais relevante da vida, exigindo desenvolvimento.

A emancipação tem sua manifestação em todas as esferas do comportamento e interação humanas. Ela pode estar nos termos íntimos e dar muito prazer, porque não há medos e complexos. Ele também pode se manifestar com performances completas, sem a pressão de projeções e um sentimento de excesso de importância. Uma pessoa emancipada se comunicará igualmente livremente com representantes de quaisquer idades, denominações, religiões e status, porque a base de seu comportamento é sempre a orientação interior e as experiências pessoais, e não os rótulos, posições e máscaras que causam nossos papéis na sociedade.

Emancipação na comunicação

Emancipação envolve excelentes habilidades de comunicação e auto-apresentação. Também inclui a capacidade de navegar na situação, o humor de uma pessoa e seus tópicos de preocupação. Diretamente associado à falta de complexos em relação à sua própria personalidade, aparência, habilidades e capacidades. Para muitos, a comunicação relaxada em seu pleno entendimento permanece inacessível por muito tempo. Tais quadros condicionais de manifestação própria estão ligados à opinião instilada desde a infância de que é necessário ser modesto, quieto e imperceptível.

Inicialmente, as crianças foram liberadas e, somente após repetidas observações sobre suas manifestações, elas começam a trancar, controlar e esconder seus verdadeiros sentimentos e possibilidades cada vez mais. Assim, o mundo adulto mostra sua relutância em aceitar a todos com sua individualidade e diferença, dita as normas de comportamento, regras, etiqueta e outros ensinamentos restritivos. Como resultado, tal educação mata a parte espontânea das manifestações mentais e libera as pessoas para olhar para o julgamento, mas com inveja de sua possibilidade de serem elas mesmas.

A facilidade de estabelecer contato é perdida ao longo dos anos. Lembre-se novamente das reuniões das crianças, que depois de um minuto se transformam em amizade. Essas mesmas manifestações de sua manifestação sincera, sem medo de que atingissem o ponto dolorido ou fossem condenadas, sem desejo, fingem ser aceitas, caracterizam uma comunicação descontraída.

A capacidade de superar sua própria restrição, contar sobre suas conquistas ou perguntar sobre a satisfação das necessidades existentes também são indicadores de emancipação. Uma pessoa aprisionada em seu mundo interior suportará, mas não reconhecerá necessidade, ficará em silêncio sobre suas habilidades, terá medo de ser chamada de fanfarrão ou de orgulho esperando reconhecimento. Aqui é importante observar uma linha tênue, quando a emancipação se transforma em demonstratividade excessiva, egocentrismo e desrespeito pelos outros. A emancipação na comunicação envolve a liberdade de sua própria manifestação, mas sem prejuízo da dignidade e interesse dos outros.

Como desenvolver a emancipação

A tensão e os complexos são gradualmente capazes de destruir qualquer destino, não importando quão altos sejam os dados que uma pessoa inicia. Portanto, o desenvolvimento da emancipação, confiança, liberdade de expressão são os principais fatores de desenvolvimento pessoal e social.

Então, para desenvolver a emancipação, é necessário se livrar do nível crítico de estresse interno. Para fazer isso, você precisa criar condições periódicas de repouso e silêncio interior. Você pode escolher aulas de ioga ou conduzir meditação, você pode escolher música bonita calma e ouvi-la. Se a tensão é muito e não se alivia por métodos calmantes simples de relaxamento, então primeiro é necessário libertar emoções fortes. Há boas cargas atléticas, limpeza energética do apartamento, e você pode até mesmo bater nos travesseiros - o principal é que o estresse interno diminui.

Um estado relaxado permitirá que a voz de seus verdadeiros desejos soe mais alto e é muito importante tentar o máximo possível para preencher o que corresponde à sua visão de mundo. Você não deve se forçar a ir a um emprego não amado, a um relacionamento com uma pessoa desagradável ou a usar roupas desconfortáveis. Você não deve nem beber chá quando quiser cacau. Em tais ninharias há uma traição de si mesmo, quanto mais distante da sua vida do presente e mais cheio de imagens (publicidade ou influências de outras pessoas), menos liberdade, mais espremido. Retomar a peça, mesmo com pequenos passos, tornará possível tornar-se uma pessoa mais relaxada e, no futuro, será mais fácil falar sobre suas preferências e implementá-las.

Qualquer atividade física ajuda a aumentar a confiança em si mesmo, a carregar uma carga de vivacidade e a aliviar a tensão física. A conexão dos processos físicos e mentais encontrará sua manifestação, ao remover os bloqueios musculares, removerá a manifestação de bloqueio de si mesmo. Escolha o trabalho corporal que mais te impressiona - psicoterapia corporal, massagem, natação, ginástica, ioga. Pode ser qualquer coisa.

Tente organizar sua vida de modo que todos esses três componentes tenham tempo em cada dia, coloque-o no hábito e com o tempo você perceberá como ficou mais fácil interagir, como seus recursos internos se abrirão e você desejará ter um contato honesto com os outros.

A emancipação não vem num dia, mas preenche cada vez mais a vida, deslocando complexos e medos. Mas vale a pena estar preparado para o fato de que aquelas pessoas que permanecem no mesmo nível de tensão e interação no nível das máscaras, podem começar a condená-lo e mantê-lo limpo. Geralmente em seu lugar vêm outros, com o mesmo nível de emancipação, como você tem.